30 outubro 2006

Tédio - Nem no microscópio eletrônico

Por causa do conforto e luxo da tecnologia e seus "meios de prazer", uma das maiores doenças do século está se alastrando e atingindo até crianças que não completaram uma dezena; la deprecion, a qual está diretamente associada com o TÉDIO, uma emoção provocada em especial por não fazer nada de útil contrariando o seu organismo para aquilo que ele deveria fazer. Exemplo, as pessoas bebem alcool, sendo que fomos feitos para beber água, e da mesma forma tem gente vivendo na ociosidade quando fomos feitos para trabalhar, enobrecer, edificar etc.

Bem, uma das coisas mais incríveis que acontece quando você passa a viver pela fé, deixando que Deus comande a sua vida, sem dúvidas é a transformação. A transformação dos gostos, dos hábitos, dos pensamentos, dos desejos, dos "passatempos" etc. (para etc. tendendo ao infinito). Mas vou destacar uma coisa que é inseparavel também quando se entrega a Deus que se chama "action" (ação).

.....................

Essa última semana foi tomada por ação, atividade e atividade, do tipo sem tempo para nada. Com mil coisas para fazer, o que dava até uma angustia, nas horas que se passavam dentro da van fazendo a transição da Universidade até meu lar.
Teve de tudo, principalmente, ação. Chegava de noite, estudava a Palavra, escrevia um pouco de Juízes e ia dormir. Interessante foi na quinta-feira, na qual tive uma prova de Cálculo2, porém confesso que não estudei para ela como deveria, que era fazendo as listas de exercícios, porque também não tive tempo. E de certa forma, a tendência era que eu fosse muito mal na prova. Porém, eu prestei muita atenção nas aulas, no desenvolvimento teórico, no raciocinio na razão. Não me preocupei em decorar regras e teoremas, mas sim e entender, e apartir de um ponto conseguir desenvolver todo o conteudo. Porém, claro, teria que praticar bastante, para ter experiência e fácil habilidade em trabalhar com tal.
Mas então veio a prova, aquele papel fino com alguns exercicios que faziam minha consciência doer só em lê-los, dizendo: "Não sei nem interpretar isso. Muito menos como começar a resolver." Então orei a Deus e roguei a ajuda dEle, para que minha mente tivesse concentração, despertasse o raciocinio e a memória. Bem, então comecei a fazer os que sabia, "L'Hospital" (um teorema para calcular certos tipos de limites). E ai parti para outro e com muito esforço, tipo, "matemática na raça" no fim consegui resovler quase que todos os exercícios, e fiquei muitissimo contente, satisfeito, meio respeito próprio (não ego) se elevou, quando percebi que eu soube trabalhar com o conteudo sem decoreba nenhuma, e que uma prova que pensei que ia tirar um ZERO, no fim estava com espectativa de uma nota das boas (hoje fiquei sabendo que tirei 4,75, uma ótima nota, para mim, foi a conquista de uma guerra).

Ok, chegou Sexta-feira
Um dia hyper corrido. Do trabalho correndo para casa (de bike), em casa, me preparo (com um porém) para o sábado e após o por-do-sol vou para a IASD do Bom Pastor na reunião do Clube de Desbravadores Guepardos Reais, com agora a duas semanas do Campori!!! E foi uma ótima reunião, muito bom mesmo, uma verdadeira familia cada segundo com eles é um verdadeiro prazer.
Então fiquei sabendo que teria que reprojetar o portal, tudo bem, faço um melhor hehe.

Cheguei em casa já bem tarde, comecei a refazer o portal, mudando uma coisa aqui, tira isso ali, e no fim, acabei começando desde o principio (das bases). Então já eram 1 da madrugada de sábado quando fui dar uma geral na lição, como se eu fosse o professos da sala e que teria que passá-la. E umas 2h, senão mais tarde, fui dormir.

Acordo para a igreja, e enquanto me dirigia para a igreja, um pouco em cima da hora. Passa por mim uma pessoa inesperada e me dá uma carona até a igreja. E consegui até que de certa forma chegar no horário, 9:10. Então teve uma excelente sala dos jovens 1, creio que apenas está faltando uma coisa ali, e que logo irei trabalhar em cima disso; uma sala incrivel onde realmente valorizamos o estudo da lição, diferentemente da lá da debaixo, da cheia, que já ouvi a classificação de "a classe das heresias".

Bem, então após fomos para o culto. O coral cantou, e sinceramente, gostei um pouco do baixo. Então teve mais um ótimo sermão, pregado pelo diretor da AP, o Biazzi, foi muito bom, porém com seus poréns. Então, saio meio que naquela correria, para ir para casa da vó. Ao chegar lá, meus primos manuauras, melhor, são-joseenses agora, estavam lá. Teve mais um daqueles tipicos almoços em familia na casa da vó. E depois eu tive aquele papo filosófico-xulo com o Rodrigo, e o pessoal começou a debater sobre "lula e Alckimin". Mas, logo saio e vou para casa, arrumo as coisas (quer dizer, de certa forma nada), apenas pego a bike, então vou lá para o Bom Pastor (uns 8km da minha casa) na reunião do clube, que seria as 2h30min, porém, como eu fui um pouco mais na manhã para não chegar enxarcado, cheguei umas 2:45.

No Clube
Para variar dois da diretoria, os principais, estavam atrasados. Então eu cordenei a abertura da reunião (é bom isso). Dei a ordem para as unidades entrarem em forma, os capitães colocam sua unidade em forma e me apresentam. E depois então teve as atividades, que de certa forma foi muito blablabla.

Saindo dali, umas 4:30h, sai correndo, subindo aquele morro enorme, dessa cidade que fica em meio á um mar de morros (definição correta para o que chama-se "serra"). Chego na igreja, deu para conversar um pouco com o Thiago, porém dói-me em perceber ao falar com ele, que tem negligenciado a devoção matinal da Palavra de Deus.
Então, logo chega os poucos estrados, e não deu trabalho algum colocá-los.

Houve uns certos "porens", mas depois de um atraso considerável, e a desculpa que é a própria "condenação" que o Marcilio vem repetindo nos ultimos 5 programas: "programa ao vivo". (ai!!!) - Ao vivo e desordenado, sem preparo, desplanejamento. Recordo-me que antigamente, era uma verdadeira raridade ver algo parecido, diria que talvez em 2 anos, presenciei uns 3.

Ok. E se juntou no fundo eu, o Renan, o Alessandro e o Henry; e não sei explicicar, eu nunca vi o baixo tão potente. Foi um milagre, alguns diriam.

..............

Ok, terminando ali, por volta das 7h. Então eu vou correndo para casa sem poupar forças, porque tinha um casamento para ir (contra my vontade). Passo em casa e já não havia ninguem, então corro para a vó, e sem brincadeira, eu chego exatamente quando meus pais saiam já indo para o casamento. Ou seja, uns 30s, atrasado, eles teriam dobrado a esquina antes, e ai de mim naquela noite.

Então fui para casa, tomei um banho etc. E eram umas 7:40 da noite. Logo raciocinei que meu pai ia demorar, e que a comida que serviriam no casamento não seria nada nutritiva. Então jantei um prato de granola com banana (delicia!!!!!!!!!!!!).
Fui para o maledito casamento, ao chegar lá, já fui surpreendido com a musica alta. O que me lembrava um show, sendo naquele clube. Totalmente diferente das musicas de igreja e na igreja. Ao aproximar, já ouvia os sopros com os lábios pressionados, e pessoas com os olhos carregados de quem tivera o estomago fermentado pela ação do etanol. E logo fui ver, que havia um total open bar, onde dezenas estavam botando para dentro do organismo o máximo de cerveja por minuto. E o casamento nisso acontecendo, e das centenas ali, talvez, uma centena prestando atenção. Com uma música de fundo de balada. E no fundo, serviam cerveja (e outros que fazem com alcool) e muita carne (o lugar fedia carne, aquela queima da adrenalina da carne, que provoca aquele aroma que todos conhecem, que possui compostos cancerigenos).

Bem, mal aguentei ficar 5 min. ali. E sai, fui lá fora, onde me deparei com o parquinho das crianças. E não deu outra fui lá brincar com elas, melhor fui servir. Era eu o tio que ficava girando eles num negócio que parecia um roda-roda gigante e que ficavam em pé. E isso por muito tempo. Teve uns capotes fuminantes. Num, uma menina escapou e saiu voando pela aceleração tangencial e atingiu-me, com um impacto fuminante que me levou a lona. hehe

Foi ótimo ouvir e ver o sorriso de dezenas de crianças e os olhos de tais brilharem e o corpo suar. Teve uma menininha que se cativou mais comigo, a qual fazia questão que apenas eu balança-se ela na balança. E apesar de ter dormido pouco a noite, ter levantado cedo, ter pelado 16km entre montanhas, carrega estrado, atividade dos desbravadores e cantando por 1 hora no coral; lá estava eu com energias que viam do além, apesar de sentir que meu corpo já tinha feito muita atividade no dia, sentia muita energia para ainda muito tempo. (uma das consequencias da boa alimentação e da reforma da saúde, vigor fisico e resistência).

Então, até que cansei, senti aquela adrenalina que provoca stress, de repente invadindo meu corpo. E não tive mais pique para continuar ali com a criança. Engraçado que nisso, haviam os "adultos" alguns até da minha idade, rindo de mim de forma perjurativa, por eu estar ali fazendo a alegria da criançada, ao invés de estar em pé como patetas adultos que não tem o que fazer, em pequenas rodinhas falando sobre qualquer tatu que lhes vem na mente. Aliás, o papo deles estavam tão interessante, que foram prestar atenção em mim. Fora que reclamaram porque eu não fui de terno, nem de gravata nada. Fui como dizem no modo "esporte chique".
Interessante, esses dias eu vi um comentário assim num jornal, pelo leitor, sobre um dos dosnos de uma corporação das grandes "o homem do terno de um bilhão de lágrimas".

Detesto formalismo. Porém amo a ordem, reverência, e principalmente a ordem unida. E tais virtudes estavam em qualquer lugar, menos ali naquele casamento.

Após então fui para com os meus primos mais intimos, onde tais também apenas com jururuba no encéfalo; fiquei vendo os videoszinhos da camera digital Sansung Digimax S600 do meu primo. Até que deparei com a minha querida prima loira, Gleyce, e seu eventual marido, Laercio, dando indicios que iriam embora. E logo os abortei:
"Estão indo para lá.?"
- Sim. Quer uma carona? - Responde e pergunta a Gleyce.
- Claro! Espera um pouquinho.

Então corri, até o meio do salão principal, onde nessa hora estavam cortando a gravata e arrecadando dinheiro para a lua de mel e o wisk do meu primo que se casara. E no meio daquele salão tomado pela farra, com uma musica bem já agitada - haviam mutias pessoas dançando, até fazendo trenzinho - fui até meus pais, peguei a chave e fui para la minha querida casa.

Tive alguns papos agradáveis no carro, o que me fazia falta naquela "serimonia, festa" (para mim era mais um carnaval = festa do carnal. Cheguei em meu lar doce lar, com mil coisas para fazer, as 11 horas da noite. Algumas coisas para o clube, algumas da facul, e nem lembro o resto. E com isso fui dormir umas 2 horas da madrugada (aliás, a hora que meus pais chegaram do casamento).

DOMINGO
Acordei cedinho, de certa forma um pouco atrasado, pois tinha combinado de ir num acampadentro da unidade Puma se não me engano. Cheguei uns 20min atrasado, porém, boa parte do clube estava ali, até o Dorival, um grande amigo. E comicamente, chego quase capotando ao subir a guia da casa - provocando risos dos desbravadores em geral. Então surpresamente, deixo a bike ali, entro num dos carros lotados. E fomos ali para o meio de São Bernardo, num lugar que eu nunca imaginava existir!

Numa xacará no MEIO, bem no CENTRO, vai se for 4 min. do Paço Municipal e do Metrople é muito. Tipo, ali do lado do sonda, de repente tem uma ponte do nada, e você entra numa montanha totalmente floresta conservada numa estrada de terra, cascalho e pedras. Onde ia subindo, passamos até por um establo. Quando chegamos no topo, onde era a tal xacará que ficariamos.

Então ali foi demais, das 10:20 da manhã, até as 3horas da tarde, de muita atividade. Eu e o Fernando ensinamos as meninas a montar um altar de cozinha. Então elas fizeram um enorme altar de cozinha e um caçador em cima, e fizeram uma comidinha bem xola, e usamos folhas de bananeira como pratos. A maioria comeu no modo "cachorro", eu peguei dos gravetos, descasquei, e fiz tipo aqueles palitinhos dos japoneses, eu deu muito certo.
O sol estava bem quente, porém, sei lá, não era do tipo que você se sentia queimar. E ficamos totalmente apenas no sol, depois a dedi fez um pão (teoricamente), e deu moh trabalho e muita espera para o pão ficar pronto (assim o consideramos, mesmo um pouco cru - tinhamos que ir embora). E então teve uma briga terrível de 1 cão Hot Valer (sei lá como se escreve) com um outro bem grandão (mas velho) e um pequeno, e tipo ia matar o outro cão. De primeira aquele susto, então não pensei muito bem na hora ai peguei um carrinho de ferro grandão e fui em direção dos cachorros e pensei "vou matá-los", ai eu parei no caminho, e enquanto pensava o que fazer, o Francisco disse "Evandro vamos pegar a Samanta (o Hot Valer)", ai eu disse "como assim pegar?". Nisso achei um cabo de vassoura, o que cria ser suficiente para conseguir separá-los, mas correram para um canto meio inacessível. E o outro cachorro já gemia. Então peguei as pedras no chão e comecei a jogar na cachorra, o que a fazia largar a outra por alguns segundos, nisso a dona da fazenda vem com uma mangueira e consegue separar os cachorros jogando agua fria neles.

Bem, depois teve várias coisas interessantes. Como o milagre que fez caber umas 12 pessoas em um gol quadrado. Cheguei em casa umas 3 e tantos da tarde e bem queimado. Ai me apressei, estudei um pouco, fiz uns negócios, e logo já me preparei para ir para a igreja onde o coral cantaria.

Bem depois teve uma semana bem agitada, principalmente o feriado. 80% só clube dos desbravadores, conheci algumas novas pessoas especiais etc.

E incrivel, demorei pouco mais de 1 semana apenas para digitar isso, para ter idéia de quão pouco tempo eu tive. Tinha várias coisas para publicar no Ociokako, mas não deu. E apenas prevenho que após o Campori teria tempo.

Bem, destaco que a minha vida vicou muito densa, cheia de afazeres. Porém não aqueles no egoismo, onde vizam apenas a mim mesmo, a minha diversão, o eu ser servido. Mas pelo contrário. Me recordei de Jesus, onde muitas vezes não tinha nem tempo para comer, porque todos que chegasse a Ele, Jesus dava toda sua atenção, o ajudava e o anunciava as boas-novas; foi tal o ponto, que muitas vezes ele teve que se retirar com os seus discipulos para lugares isolados para poder orar e descansar.



Alguém com tédio? Achando a vida muito mesmisse, sem aventura, parada? Sem ter o que fazer? Experimente Jesus, e se prepare para mal ter tempo de comer e uma vida densa de tarefas que requer suor e muito contato humano. E isto ocorre naturalmente.

2 comentários:

Anônimo disse...

huahauhauahuahauh....
oi tdu bom???
entaum...
sab as meninas do clube Órion??
entaum...
sou uma delas!!!!
hauahuahuahauhah...
q conhecidenciah....
amei sei blog!!!
bye

Isabela disse...

ops!!!